Arquivo da tag: Porcas Borboletas

Pegada Recomenda: Porcas Borboletas – A Passeio

por Camila Cortielha

Vem lá do Triângulo de Minas o mais novo lançamento do Compacto.REC, projeto de lançamentos virtuais do Circuito Fora do Eixo. E  chega com certeza como um divisor de águas inspirador.

Estamos falando dos Porcas Borboletas, que construíram sua história pautados em muito humor, criatividade e experiência estética desde 2005, com o disco “Um carinho com os dentes”, e tomaram conta da grade dos principais festivais independentes do Brasil desde então.

Mas o assunto principal é “A Passeio”, o novo trabalho da banda que agora é um sexteto e traz a mão de muito mais gente do que os integrantes Danislau (voz), Banzo (voz, violão), Moita (guitarra, voz), Rafa (baixo), Ricardim (barulhos, sopros, teclados), Vi (bateria) e Jack (percussão). Como explica Banzo, “neste disco as individualidades aparecem mais e isso faz o coletivo ficar mais forte”: todo mundo teve mais espaço para compor, cada um que trabalhava no disco somava na riqueza que se apresenta.

O espírito colaborativo continua com a co-produção de Alfredo Bello e as participações de grandes músicos como Arrigo e Paulo Barnabé, Bocato, Simone Sou, Júnio Barreto, Marcelo Monteiro, Gui Cotonete, Arthur de Faria, Marcelo Janeci. Também participaram DJ Tudo, a atriz Leandra Leal interpretando uma prostituta na faixa “Super Herói Playboy” e a escritora Clarah Averbuck, que fez a letra de “Menos”, a primeira faixa do disco.

O passeio dos Porcas Borboletas não poderia ser melhor definido pelo jornalista e escritor Alex Antunes:

Tudo bem, é praticamente consenso que Um Carinho com os Dentes, o primeiro CD, de 2005, já era bastante bom, assim como a banda já era reconhecida como um dos melhores shows do circuito. Mas algo – que nem sempre acontece, mesmo com as melhores bandas – aconteceu com eles, desta vez. Um perfeito ajuste entre um repertório inspirado, uma execução vigorosa e um crescente domínio da linguagem de estúdio, ao lado de um produtor sagaz.

Enfim, pra quê falar mais?! “A Passeio”, novo disco do Porcas Borboletas pode ser deliciado gratuitamente, faz parte do Compacto.REC, uma das principais frentes de trabalho do Circuito Fora do Eixo, que disponibiliza lançamentos em formatos digitais. “A gente que escancarar, só pede que todo mundo escute o disco em 320kps”, diz Banzo. Então vai lá e baixa todas as músicas do disco, em alta qualidade e de graça.

P.S.: Na rádio Fora do Eixo essa semana a banda ainda faz um faixa-a-faixa que explica pormenores da produção, muito divertido!

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Pegada recomenda

Cobertura de Pegada – Conexão Vivo

Por Flávio Charchar
Fotos: Lucas Mortimer

Transmissor abre a quinta-feira

Transmissor abre a quinta-feira

Continuando com as boas surpresas da cena de BH e do Brasil afora, a noite de quinta-feira, 23/4, foi aberta pelo Transmissor. Atualmente a banda ostenta o “peso” de ter feito um dos melhores trabalhos do ano passado na cidade, além de ter figurinhas já conhecidas do “underground” em sua formação, como Thiago Correa (ex-Diesel, atualmente também no Eminence), Jennifer Souza (integrante do Cinza) e Leonardo Marques (ex-Diesel, atual Udora). A banda fez mais um dos seus elogiados shows, com um público seguidor marcante, cantando as músicas e chamando a atenção dos poucos presentes. Após o show, o primeiro CD do grupo, “Sociedade do Crivo Mútuo”, vendeu tão rápido quanto chegou à banquinha do CMMI, mostrando um reflexo claro da apresentação.

No decorrer da noite, Otto (PE) fez uma apresentação que gerou críticas e elogios, um pouco diferente do reflexo de seu show na edição anterior do evento. Contudo, sempre animado, foi uma apresentação interessante de um artista respeitado no meio. Em seguida, veio o show de Makely Ka com Alexandre Lima. Apresentando músicas de seu último trabalho,”Autófago”, entre outras, com muito rock e MPB, o show se alternou entre momentos calmos e agitados, com muita dinâmica e um público interessado, mostrando o poder da música autoral. E para encerrar a noite, Porcas Borboletas, de Uberlândia (MG). Assim como na edição anterior, a banda fez uma apresentação que causa espanto inicialmente, devido a sua presença performática e mensagens subliminares em letras escrachadas. O público começa o show com um pé atrás, mas depois se diverte bastante e entra no clima da banda. Para os já fãs de carteirinha, o Porcas tocou música novas, de um trabalho a ser lançado possivelmente este ano ainda, dando um gostinho do que está por vir.

No dia seguinte, sexta-feira, Curumin, renomado baterista já envolvido com alguns projetos na cena independente, mostrou seu trabalho cheio de swing e uma presença de palco descontraída e cativante, sendo muito aplaudido pelos ouvintes, que dançaram sem parar e sem tirar os olhos do palco.

Madame Saatan: peso na Conexão

Madame Saatan: peso na Conexão

O sábado foi, contudo, a maior surpresa em termos de resposta do público a uma banda no festival, graças ao Madame Saatan do Pará. Com um som pesado, presença de palco forte, muita técnica e uma vocalista muito carismática e talentosa, a banda pôs o Conexão Vivo em xeque, mostrando que o seu metal misturado com hard rock e ritmos regionais tem seu lugar mesmo no público mais improvável (nenhuma outra atração tinha tanto peso musical na programação), com um trabalho autoral e que chamou muita atenção, resultados claramente visíveis nas vendas dos produtos relacionados à banda após o show na banquinha do CMMI.

Outra surpresa agradável ao longo da noite foi o Filomedusa, do Acre, com um som esteticamente retrô, animado e liderado pela voz carismática e, dessa vez mais doce, de outra mulher. Ao contrário da banda paraense com seus vocais graves e fortes, os acreanos mostraram mais sutileza e muito bom gosto para uma audiência muito animada. O show foi tranquilo e muito elogiado, gerando uma curiosidade interessante em torno da banda.

Filomedusa: rock acreano em MG

Filomedusa: rock acreano em MG

Enfim, termina o Conexão no domingo, com mais um dia de trabalho para a banquinha do CMMI e muita gente curtindo música boa e independente. O evento foi um bom exemplo do interesse que as pessoas têm tido pela cena, cada vez mais presente e parte do cotidiano do público. Até ano que vem!

Deixe um comentário

Arquivado em Cobertura de Pegada, coletivopegada

Macaco Bong e Burro Morto em festa do CMMI, 20/4

Deixe um comentário

Arquivado em Agenda, Festa, Show