Arquivo da tag: macaco bong

Os independentes invadiram o VMB!

por Camila Cortielha

Impressionante observar a lista dos indicados ao VMB 2009.  Tem independente concorrendo nas categorias Revelação, Aposta, Rock, Hardcore, MPB, Reggae, Rap e Instrumental, isso contando só quem não tem contrato de lançamento nem de distribuição, se for contar todo mundo que trabalha independentemente do selo/gravadora que prensa seus discos, os independentes só ficam fora de três categorias de música.

Impressionante.

Mais boquiaberta fiquei ao reparar nas  bandas frequentes do Circuito Fora do Eixo que ganharam indicações. Além da banda-símbolo do circuito, maior expoente da filosofia Artista Igual Pedreiro: Macaco Bong (foto), muitos nomes no circuito foram indicados. A categoria instrumental, inclusive, só tem banda “nossa”: Eu serei a hiena (da Travolta Discos), Retrofoguetes (já resenhado no blog), Pata de Elefante (também da Monstro) e Hurtmold (talvez a banda mais antiga da categoria).

Voltando a que está sempre vinculado a eventos do Fora do Eixo, ainda tem Móveis Coloniais de Acaju, Black Drawing Chalks,  Cérebro Eletrônico, Autoramas, Curumin, Devotos, Garotas Suecas e a lista continua.

Tão ampla inserção em um dos prêmios mais conceituados da TV brasiliera só prova: os independentes são os donos do futuro, é daqui que sai o que é bom e novo. Então vá lá e vote nos artistas independentes, vote em quem precisa e faz por merecer com muito sangue, suor e disposição, apoie quem não pode pagar estagiário pra votar sem parar, ajude quem está mais perto de você e sigamos juntos por uma cadeia produtiva independente, autônoma e sustentável.

p.s.: Banda nossa a gente pode fazer propaganda, né?! Colocamos ali do lado a propaganda do Macaco Bong, banda a Agência Fora do Eixo, para vocês lembrarem de votar todos os dias que entrarem aqui no blog! 😉

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em coletivopegada, Notícias

Festival Escambo começa hoje!

final_cartaz - ESCAMBO 2009

Deixe um comentário

Arquivado em Festival

Áudio de Pegada – StereoTaxiCo no estúdio – Parte 1

Por Lucas Mortimer
Fotos: Camila Cortielha

O StereoTaxiCo está no estúdio gravando seu primeiro EP. O disco vai contar com 7 músicas que retratam o primeiro ano de trabalho da banda. A gravação está sendo feita no estúdio caseiro do baterista Lucas Mortimer. Todos os domingos a banda e os amigos do Coletivo Pegada se reunem lá para trabalhar nessa empreitada.

No primeiro domingo (5/4) seriam realizadas a gravação das guias. Tivemos até a presença dos amigos do Enne (Luciano e Jay), mas o computador não funcionou e o início foi adiado. No domingo seguinte, regado a biscoito maizena e suco tropical, realizamos a gravação das guias. Estamos utilizando o software Nuendo 3.2 da Steinberg. A função “tempo track” foi muito útil para fazermos algumas dinâmicas de tempo em algumas músicas.

Com as guias prontas, chegou a hora de montar a bateria. Gastamos um dia inteiro só pra montar, afinar e posicionar e conectar os microfones. Nesse dia, contamos com a ajuda do guitarrista da Aldan, Davi Brêtas, que deu uma super força e foi chamado para produzir o EP junto com a gente.
Segue o esquema de microfones e seus inputs:

Passando pelo pré Digimax 96 da Presonus
– Bumbo: Shure Beta 52A
– Caixa Esteira: ElectroVoice NDM-42
– Tom: CAD ND-11
– Surdo: Samson Q3
– Ambiente: Neumann TLM-103

Passando pelo pré Tube ART

– Caixa: Shure SM-57

Passando pelo pré ISA-220 Focusrite

– Caixa: AKG C-1000

Passando pelo Tube Pre da Presonus
– Chimbal: AKG C-1000

Passando pelo Tube Ultragain da Behringer
– Overs: Shure KSM-141 (stereo pair)

dsc_1345

Tudo isso foi conectado ao computador através de uma placa (DAW) Firestudio da Presonus. Pouca regulagem de compressão ou limiter foi aplicada. Apenas chegou-se aos níveis para não “clipar”. O microfone ambiente deu uma sonoridade muito orgânica à bateria, aproveitando a boa acústica do novo tratamento acústico que o a sala de gravação recebeu recentemente.

À tarde, contamos com a presença dos meninos do Macaco Bong de Cuiabá que curtiram muito o som da batera e deram alguns conselhos sobre afinação. No fim do dia conseguimos acertar tudo, entre microfonação e afinação, e fazer um take de “A Sua Causa” que será faixa bônus do EP.

O pessoal do Macaco Bong, que faria um show no Matriz segunda à noite na festa do CMMI, se ofereceu para dar mais uma força na gravação da batera na segunda à tarde. Ynaiã Bertholdo levou seus pratos para testarmos algumas sonoridades. Ficamos horas regulando o tom e o surdo. Em seguida começamos a testar os pratos do Ynaiã. O ride 22′ série Twenty da Paiste é maravilhoso. Decidi nem testar o hi-hat Quick-beat da Zildjian, pois já conhecia esse prato do set do Jean Dolabella (Sepultura, Udora) e sabia que ia ficar triste quando o Ynaiã fosse embora horas mais tarde. Fizemos mais um take de “A Sua Causa” para virar uma faixa bônus especial.

Voltamos ao estúdio domingo cedo para terminar a gravação das baterias. Reajustamos alguns níveis e mandamos bala. Realmente tocar com o metrônomo não é uma tarefa tão fácil quanto parece. Uma dica é ensaiar bem antes de entrar no estúdio. Quando não se tem um cronômetro regressivo fica mais fácil, mas se você estiver pagando o estúdio, não estar acostumado com o metrônomo pode resultar em uma perda significativa de horas de estúdio. Outra dica é fazer a guia bem feita. Quando a guia está perfeita, você quase não precisa prestar atenção no metrônomo e deixa a música fluir mais naturalmente. Além disso, uma boa monitoração nos fones ajuda a não se perder no meio da música e perder o tempo.

dsc_1301

Ainda tivemos que nos encontrar (Lucas e Davi) numa quarta-feira à tarde para finalizamos todas as bateras. Mas conseguimos! O resultado ficou muito bom! Agora que venha o Giordano com seu Tony Levin para mandar os baixos!

Deixe um comentário

Arquivado em Áudio de Pegada, coletivopegada

Cobertura de Pegada – Conexão 2009

Julgamento agradece o público do Conexão 2009

Julgamento agradece o público do Conexão 2009

O público de Belo Horizonte é muito tradicionalista, não está acostumado a ouvir coisas novas e prefere prestigiar o bom, velho, seguro e conhecido cover. Mentira!

A Conexão, que está acontecendo no Parque Municipal e vai até o domingo, 26/4, prova que BH tem espaço para coisas novas. Bandas pouco conhecidas do público mescladas a artistas de renome têm produzido um grande espetáculo musical durante esses dias no parque. Há também uma enorme diversidade de estilos. A organização conseguiu uma mistura equilibrada de rock, hip hop, MPB, samba e várias outras vertentes da música. De uma maneira geral, a Conexão conseguiu atingir um dos seus objetivos, trazendo para o mesmo espaço artistas diferentes e que representam a nova cara da música nacional e consolidando o Estado do Mato Grosso como um dos principais pólos desse novo mercado musical.

Entre eles está o rapper Renegado que tocou na sexta-feira, junto com Marku Ribas e Cubanito, da Black Sonora e falou com o Pegada sobre a importância da diversidade na música. Clique aqui e ouça!

The Hell´s Kitchen Project: trabalhando duro

The Hell´s Kitchen Project: trabalhando duro

Indo além da conversa artística, os selecionados para o festival representam o período de transição que a música está passando hoje, com relação à forma de se trabalhar nesse novo modelo de mercado. Há artistas consagrados (e outros nem tanto), que ainda insistem no modelo antigo de trabalho com a música. Temos artistas em que a banda foi responsável por tudo sozinha, como o The Hell´s Kitchen Project, que conta apenas com o próprio trabalho para atingir os objetivos. Há ainda representantes da nova economia solidária, como o Macaco Bong, que vem para representar o Circuito Fora do Eixo e o trabalho de dezenas de coletivos em todo o país. Graças a esse trabalho cooperativo em rede, a banda conseguiu ter o seu disco de estreia, “Artista Igual Pedreiro”, eleito como o melhor de 2008 pela revista Rolling Stone. O reconhecimento da grande mídia a uma banda instrumental mostra o quão eficiente é essa nova forma de trabalhar e Ney Hugo (baixo) e Ynaiã Bertholdo explicaram para o Pegada as razões desse sucesso. Ouça aqui!

Macaco Bong: artista igual pedreiro

Macaco Bong: artista igual pedreiro

Festas no Parque Municipal sempre são sucesso de público, devido a vários fatores, como localização, preço camarada e boa organização. Este festival não está sendo diferente, mas um fato chama a atenção, uma grande parte do público está indo para assistir aos shows e não apenas “ir a uma festa”. Essa tese pode ser comprovada logo no show de abertura de cada dia, que já conta com um público expressivo às 18h30. As bandas Rocknova, Julgamento (do nosso colaborador Roger Deff), que abriram os dois primeiros dias, tocaram para um público que foi à festa para assistir aos seus shows, mostrando que a nova música de BH está formando público. Outra banda que inaugurou a noite e já contava com um público razoável foi a banda paraibana Burro Morto, que trouxe a lisergia instrumental do Nordeste para o gramado do parque.

Outro destaque dos shows foi a confirmação de que o público precisa cultuar alguém. Há alguns anos, o posto de banda mais idolatrada do país vinha sendo ocupado pelos Los Hermanos. A julgar pela reação do público, na primeira noite do festival, durante o show do Vanguart, essa lacuna acabou de ser preenchida. Plateia ensandecida, cantando todas as músicas e corrida ao camarim depois do show preenchem todos os requisitos de banda cult. Apesar de toda a idolatria, o Vanguart surgiu em Cuiabá, fazendo parte do mesmo cenário que o Espaço Cubo formenta. Após anos de trabalho duro, a banda saiu do Centro-Oeste brasileiro e se mudou para São Paulo, onde tem se dado muito bem. Clipes com veiculação constante na MTV, aparições na Globo e um DVD gravado pelo canal a cabo Multishow mostram a boa fase da banda. Mas apesar de todo o sucesso, o caminho percorrido não difere muito da maioria das bandas independentes do país, como explica o tecladista da banda, Luiz Lazarotto. Ouça aqui!

barraca-lucas2

Quem for ao Parque Municipal hoje à noite poderá conferir a barraca do Circuito Mineiro de Música Independente, com CDs e produtos de vários coletivos de todo o estado.

Confira a programação dos shows até domingo:

programacao2

Além disso, a partir das 14h de hoje, começa o Seminário Música e Movimento, no teatro do Museu Inimá de Paula, veja a programação:

Tema 23/04 – MÚSICA, TECNOLOGIA & MOBILIDADE
Tema 24/04 – DIREITOS AUTORAIS
Tema 25/04 – MOVIMENTO
Tema 26/04 – INTERNACIONAL

Mais informações aqui!

Equipe de Pegada:

Coordenação:
Eduardo Curi

Redação:
Flávio Charchar
Luciano Viana
Renata Almeida

Fotos:
Lucas Mortimer
Marco Aurélio Prates

Vídeo:
Adriano Singolani

1 comentário

Arquivado em Cobertura de Pegada, coletivopegada

Macaco Bong e Burro Morto em festa do CMMI, 20/4

Deixe um comentário

Arquivado em Agenda, Festa, Show

Conexão Vivo começa 6ª em BH

A Conexão Vivo começa nesta sexta-feira, no Parque Municipal, no Centro de Belo Horizonte. Os shows começam às 18h e quem fará a abertura é a banda Rocknova, que tocou no Grito Rock BH 2009.

O festival irá até o dia 26 de abril.

Confira a programação do primeiro fim de semana do evento:

conexao

Em sua oitava edição, a Conexão já passou pelas cidades de Governador Valadares, São João del-Rei, Uberlândia, Montes Claros e Campinas (SP). Ao todo, foram realizados 81 shows, 79 oficinas culturais, algumas delas ministradas por Camila Cortielha, coordenadora de Planejamento do Pegada, e dois espetáculos teatrais, com público estimado de 34 mil pessoas.

Em BH, o projeto irá promover vários shows no Parque Municipal, de 17 a 21 e de 23 a 26 de abril. Irão se apresentar os artistas selecionados pelo júri e por votação popular nas etapas eliminatórias do interior. Também irão se apresentar nomes já consagrados da música como Patrícia Ahmaral e Vander Lee, Vanguart, Macaco Bong, Kiko Klaus e Naná Vasconcelos, Porcas Borboletas, Otto, Gilvan de Oliveira, Chico Amaral e Samuel Rosa, Marina Machado, Pedro Morais, Dea Trancoso, Curumin, Macaco Bong, Juarez Moreira e Wagner Tiso, Lirinha, Chacal, Sergio Pererê, entre outros.

Será realizado, pela segunda vez, o Seminário Internacional Música & Movimento, com debates, oficinas e mesas-redondas. Dirigido a músicos, jornalistas, produtores, representantes do poder público e empresários ligados ao setor cultural, o Seminário neste ano trará mais uma vez alguns dos mais importantes especialistas do mercado e da indústria cultural, como representantes do MinC, Festivais Internacionais e de Fundações e Institutos culturais ligados ao desenvolvimento do setor, como o Instituto Cultural Espaço Cubo, representado por Pablo Capilé, liderança nacional do Circuito Fora do Eixo e a Eletrocooperativa. O Seminário teve sua primeira edição em 2003 e surgiu da necessidade de uma reflexão sobre o relacionamento entre a cadeia produtiva da música e os novos caminhos do mercado cultural. O Seminário Internacional Música & Movimento ocorre entre os dias 23 e 26 de abril.

Deixe um comentário

Arquivado em coletivopegada, Festival

Rumos Convida Itaú Cultural terá transmissão pela internet

Em março, o Itaú Cultural promove mais uma etapa do Rumos Música. Entre os dias 4 e 8, sobem ao palco artistas participantes do programa e convidados, entre eles Rodrigo Amarante e Bnegão. Sempre às 20h, os shows têm entrada gratuita e transmissão ao vivo pela internet.

Quarta, 4/3

Show de lançamento do CD Violas de Bronze, com Siba (PE) e Roberto Corrêa (DF), participação de Paulo Freire (SP)

Representantes de gerações inovadoras da música brasileira, o rabequeiro Siba e o violeiro Roberto Corrêa são parceiros neste disco. Eles convidam o também violeiro Paulo Freire para celebrar o lançamento do CD.

Quinta, 5/3
Móveis Coloniais de Acaju (DF) recebe Bocato (SP)

O grupo Móveis Coloniais de Acaju convida o trompetista Bocato para uma noite de rock e ska. Os brasilienses e o músico paulista brindam o público com criações próprias e releituras de clássicos brasileiros.

Sexta, 6/3
Cabruêra (PB) recebe Bnegão (RJ)

O grupo paraibano Cabruêra, com seus timbres pops e regionais, recebe o rapper carioca Bnegão, ex-vocalista do Planet Hemp e integrante de Os Seletores de Frequência e do Turbo Trio. No repertório, músicas dos três primeiros discos da banda e canções como V.V. (BNegão e Os Seletores) e Sorriso Aberto (Guará).

Sábado, 7/3
Cidadão Instigado (CE) recebe Rodrigo Amarante e Karine Carvalho (RJ)

A mistura de jazz, repente, blues, drum’n’bass, samba e maracatu dos cearenses do Cidadão Instigado se encontra com a sonoridade de Rodrigo Amarante, ex-Los Hermanos e integrante dos grupos Orquestra Imperial e Little Joy, e da atriz e cantora Karine Carvalho.

Domingo, 8/3
Pata de Elefante (RS) recebe Macaco Bong (MT)

Pata de Elefante encerra os shows com seu rock instrumental e repertório que inclui Um Olho no Fósforo, Outro na Fagulha; e Marta e Hey. Outro trio de rock instrumental acompanha o grupo gaúcho: o Macaco Bong, banda mato-grossense cujo CD de estreia, Artista Igual Pedreiro, foi considerado o Melhor Disco Nacional de 2008 pela revista Rolling Stone.

Entrada franca – ingresso distribuído com meia hora de antecedência (247 lugares)

Itaú Cultural – Sala Itaú Cultural | Avenida Paulista 149 – Paraíso – São Paulo SP (próximo à estação Brigadeiro do metrô)
informações 11 2168 1777 | atendimento@itaucultural.org.br

Deixe um comentário

Arquivado em Agenda