Áudio de Pegada – Sequenciando

Como eu faço muita gravação em casa, uso e abuso de sequenciadores de bateria. Comecei usando o Superquartet da Edirol, quando produzia no Sonar 4. Depois que migrei para o Pro Tools, passei a usar o Xpand!, que vem com o programa. Quando se sequencia uma bateria você tem duas opções: ou a produz para que soe verossímil, ou você explora as possibilidades que os instrumentos virtuais podem te proporcionar.

Normalmente, eu sequencio baterias de rock e às vezes, algo de música eletrônica, portanto vou usar esses dois estilos como referência, mas os conceitos explicados aqui podem ser aplicados em qualquer estilo.

Caso você queira um som mais realista, basta lembrar que um baterista só consegue tocar quatro peças de uma vez. Normalmente, numa canção pop, ele alterna bumbo e caixa, acompanhado por um prato, que na maioria das vezes é o hi hat. De início, faça um groove simples com essas peças. Construa um esqueleto para a música e trabalhe a partir daí. Insira pratos como crash e splash para marcar as passagens entre as partes da música, como do verso para o refrão. Isso é ótimo para te orientar durante o trabalho.

Depois que você tiver estabelecido o esqueleto e o groove básico, comece a experimentar com algumas viradas, insira contratempos no hi hat e veja se a canção combina com um pouco de suíngue. Lembre-se que não existe ser humano no mundo capaz de tocar 100% cravado. Não fique limitado ao grid, com todas as notas certinhas, isso vai fazer a sua música ficar muito mecânica, sem feeling. Arraste uma peça ou outra, aleatoriamente, para um pouco antes ou um pouco depois do local correto. Isso vai dar uma humanizada na bateria, diminuindo aquela sensação de que é uma máquina que está tocando.

Outra coisa que você deve ficar atento são as intensidades. Nenhum baterista bate sempre com a mesma força todas as vezes. A intensidade também pode definir o estilo. Se você estiver sequenciando um rock tradicional, o ataque mais forte é sempre no primeiro e no terceiro tempos. Se você quiser dar mais um pouco de suíngue à levada, coloque as batidas mais fortes no segundo e quarto tempos.

Vou deixar como exemplo uma música do de Kits que eu considero como um dos melhores trabalhos de sequenciamento de bateria que eu já fiz. Clique aqui e ouça!

3 Comentários

Arquivado em Áudio de Pegada

3 Respostas para “Áudio de Pegada – Sequenciando

  1. Opa. Bem bacana este post.
    Tenho pesquisado bastante sobre sequenciar bateria em computador. Concordo que ninguém toque “cravado” como o computador, entretanto, o que se escuta atualmente é uma bateria totalmente cravada. Isto porque os engenheiros de som editam a bateria para que fiquem absolutamente no tempo. Quanto a mesma força que batem nas peças, é exatamente isto que tentamos fazer com os compressores, não é? Deixa-los com o mesmo som. Um plugin muito bacana para humanizar a bateria e o DBF2 da FXpansion. Ele varia os sons dos samples de uma maneira muito natural e atrasa ou adianta também bastante satisfatoriamente.
    Continue com estes posts bacanas, são de grande ajuda!

  2. Opa, valeu demais pelo comentário, bom demais saber que tem gente gostando do que eu escrevo🙂

    Então, sobre edição de bateria, concordo com vc, hj em dia ta tudo cravado, pelo menos na música pop. Mas o que seria de estilos que têm o ritmo como principal pilar, como no samba, por exemplo, se todo mundo tocasse cravado? Ia ficar um verdadeiro samba de gringo, duro… mas até o rock sem baterias editadas era muito mais interessante…

    sobre os compressores, eu discordo de vc. Nós não usamos ele para que a bateria fique com o mesmo som, ele nao controla a intensidade da batida. Imagine os eguinte, um ataque na caixa bem leve e outro bem forte. Cada um vai ter um volume diferente. Comprima-os ate que tenham o mesmo volume. Ambas atingem -1 dB, por exemplo, mas vc consegue perceber claramente qual a batida fraca e qual a batida forte, sacou?

  3. Pensamos igual acerca do compressor. O que eu quis dizer foi. Os DBs vão ser exatamente iguais (no caso de limiter), entretanto os harmônicos serão diferentes. O ratio irá determinar os transientes. Abraço

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s