StereoTaxiCo no estúdio – parte 2: mixando duas músicas

Por Lucas Mortimer

Após a gravação das baterias para o primeiro EP do StereoTaxiCo, decidimos gravar duas músicas completas para enviar para o Edital de Circulação Nacional do Programa Música Minas.

Foi um trampo corrido, com muita ralação. Gravamos o baixo em linha, diretasso, utilizando o pre ISA-220 da Focusrite. O baixo utilizado foi o próprio baixo do Giordano, um OLP Tony Levin.

O baixo até foi tranqüilo de gravar; o difícil mesmo foram as guitarras do Arthur. Testamos vários equipamentos emprestados. Testamos um Fender De Ville e um amp handmade, o Horizon da Lifesound (que possui dois canais, um limpo estilo Fender e um com alto ganho estilo Mesa Boogie).  

Horizon microfonado com dois Shure SM-57

Horizon microfonado com dois Shure SM-57

O Horizon possibilitou uma variedade maior de timbres e optamos por ele nas gravações. Utilizamos ainda um Direct Drive para algumas distorções e um pedal StereoVibe (também handmade) para algumas modulações. Microfonamos o amp com dois SM-57 (um no centro e um na borda) e um Neumann TLM-103 pra tentar captar a ambiência (que não funcionou legal). Tudo foi executado na Squier Telecaster Custom do Arthur.

Arthur Vinícius e sua Telecaster Custom

Arthur Vinícius e sua Telecaster Custom

As vozes foram gravada com o TLM-103 no ISA-220 com um pouco de compressão e de-esser.

Voz no Neumann TLM-103

Voz no Neumann TLM-103

Passando rapidamente para a mixagem, fizemos tudo no Nuendo e a monitoração foi feita através de um par de Yamaha HS-80M (com Room Control no -2dB por causa do tamanho da sala). Tive que começar a mixar sozinho, sem a presença do nosso produtor Davi Bretâs. Fiquei meio inseguro, mas mandei bala. A princípio fiz uma mix alterando pouco as gravações e utilizando muito das ambiências. No entanto, essa mix se mostrou muito bonita, mas bem fraca. Voltei ao começo e comecei a ativar os compressores e os simuladores de válvulas, para dar mais força e brilho aos instrumentos. Tirei as ambiências que estavam deixando o som um pouco embolado e apliquei alguns reverbs “room” e “plate” do Roomworks.

Davi no comando

Davi no comando

Feita a mixagem, o Davi se juntou novamente a mim para tentarmos fazer a masterização. A pouca experiência em masterizar dificultou muito o processo e gastamos horas testando vários parâmetros para chegar ao som que queríamos. Utilizamos o Ozone iZotope para equalizar, comprimir, excitar harmônicos e maximizar. No final o resultado não foi o que esperávamos, mas esta aí pra galera ouvir e criticar.

Luzes da Cidade já está no myspace da banda e também pode ser baixada nesse link.

5 Comentários

Arquivado em Áudio de Pegada, Pegadores

5 Respostas para “StereoTaxiCo no estúdio – parte 2: mixando duas músicas

  1. É nui, Lulu e Davizão!
    Muito boa a matéria. E vamo que vamo, melhorando cada vez mais!

  2. Vamo que vamo pessoal, por ser uma 1ª prévia estamos no caminho!

    Aquele abraço!!! 😉

  3. STEREOTÓXICO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  4. fernanda

    eu quero ouvir a musica do rebelde
    por favor!!!!!!!!!!!!!
    eu amo o mixando!!!!!!!!!!!!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s