Grito Rock 2009 Vespasiano

azimute

Surgindo agora na cena independente mineira, o coletivo Azimute, de Vespasiano começa as suas atividades realizando o Grito Rock 2009, na cidade da região metropolitana de Belo Horizonte. No domingo, 25/1, rolam as prévias, no Bar do Rock, e no dia 7/3, é o dia do festival, no Final Clube.

Com muita vontade de consolidar e profissionalizar a cena em mais uma cidade mineira, o Azimute terá um árduo caminho.

Fred Berli, um dos coordenadores do coletivo nos conta o que eles esperam do trabalho que vem pela frente.

Pegada: Como surgiu o Coletivo Azimute e quem participa dele?

Fred Berli: O Coletivo Azimute surgiu porque Vespasiano é uma cidade que tem gente interessada em agitar culturalmente a cidade, mas faltava (e ainda falta) uma articulação nessas ações. Quando cheguei com a ideia de montar um coletivo, para favorecer o todo, muita gente comprou a ideia, mas efetivamente, ainda temos um número pequeno de pessoas participando. Dentre elas, posso destacar a Luciana Mansur, que tem ajudado muito na parte de mídia e planejamento do Grito Rock.

Outra galera que entrou de cabeça agora na ideia, é o Freddy Marques da banda Konkem e Marcelo Mendes, produtor local que há anos luta pra agitar a cena da cidade. Depois temos uma série de pessoas na cidade que estão ligadas ao coletivo, mas ainda com ajudas pontuais. Acho que o Grito Rock vai fazer muito bem ao Azimute neste aspecto.

Pegada: Faça um apanhado geral da cena independente de Vespasiano, há espaço para os novos artistas?


Fred Berli:
Vespasiano é uma cidade que tem o Rock na veia. Muitas bandas já saíram da cidade e conseguiram resultados expressivos em festivais e eventos fora, como foi o caso do All Keith, em um passado próximo, e atualmente da banda Konkem, que inclusive tocou em um festival em Angra dos Reis ano passado e agora vai tocar nesse mesmo festival, mas dessa vez em Sampa. E bem… a cidade tem dois teatros, um centro de convenções gigantesco, um quarteirão fechado, trasnformado em praça, no Centro, o Funil Clube, o Bar do Rock e uma galera que não perde tempo pra estar com um violão na mão tocando rock em algum buteco da região… logo, acho que sim, tem muito espaço pra novos artistas tanto locais como “forasteiros”. E isso que estou falando apenas da região central da cidade.

Pegada: Como estão os preparativos para o Grito Rock?

Correria total e completa. No ultimo dia 10, foram encerradas as inscrições, e tivemos mais de 50 inscritos de todo o país. Ja temos o local das prévias e do festival fechados bem como o som, agora estamos captando patrocínios e apoios pra pagar as contas. Por enquanto estou um tanto quanto sobrecarregado, mas tenho absoluta certeza de que o Grito vai dar muito certo em Vespasiano e, a partir dele, o Azimute vai lançar bases fortes pra apoiar o circuito da musica independente no norte da grande BH.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em coletivopegada, Entrevistas, Seletivas, Show

Uma resposta para “Grito Rock 2009 Vespasiano

  1. Henrique

    caros amigos tenho banda e gostaria de tocar junto com vcs seja onde for…….é possivel

    um abraço!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s